Linguagens de Interação | Analise Nintendo 3Ds

Hoje trago a minha analise de um objeto, utilizando os conceitos aprendidos na matéria de Linguagens de Interação.

Objeto Analisado

Nintendo 3Ds – Vídeo Game portátil com tecnogia 3D e touchscreen.

Nintendo 3ds

Algumas informações sobre o Nintendo 3Ds:
– Duas telas: Uma de suas telas possui a tecnogia 3D e a outra touchsreen, no aparelho também foi adicionado um controlador onde você pode nivelar a intensidade do 3D.
– Câmeras: Com ele é possível tirar fotos e filmar em 3D, graças as duas lentes que ficam atraz do aparelho, ele também possui uma câmera frontal.
– Sensor de movimento: Possui um sensor de movimento giroscópio que reagi ao movimento e inclinação do aparelho, permitindo uma mecânica diferenciada para certos tipos de jogos.
– Controles: Possui um controle analógico junto ao controle tradicional.
– Caneta: Possui uma caneta para facilitar a interação com a tela touchscreen.
funcionalidades
A escolha do objeto

O Nintendo 3Ds possui duas funcionalidades que me chamaram atenção, e no que elas podem agregar a experiência do jogador:

– StreetPass: O Nintendo 3Ds possui um sistema onde os aparelhos conversam entre si através de um sinal emitido por eles, com um alcance de até 30 metros, criando uma nova forma de interação para os jogadores não apenas on-line mas também com pessoas do mundo real que o jogador encontra no dia-a-dia, ele não precisa estar ligado para que o sinal seja emitido, basta que seja deixado em modo de stand-by.
As experiências são diversas: os jogadores ao se encontrarem, podem ganhar pontos para utilizar em seus jogos, trocar dados com outros jogadores, desafiar o outro jogador e fazer novas amizades.
street-pass

– SpotPass: Existem alguns lugares chamados de “Nintendo Zones”, que foram preparados pela desenvolvedora do aparelho, onde os jogadores podem se conectar gratuitamente a internet e receber dados de jogos e de outros jogadores que passaram pelo local.

Analise

A interface é baseada em elementos gráficos, o que facilita o entendimento do aparelho, já a sua navegação é bem direta e intuitiva.

– Seleção: Os jogadores podem criar seus avatares para se diferenciar dos outros jogadores.
– Composição: O aparelho foi totalmente composto por tecnologias já existentes, como o 3D, o touchscreen, o sensor de movimento entre outros, criando um novo aparelho e uma nova experiência ao juntar todas essas ferramentas.
– Teleação: Parte da interação com o Nintendo 3Ds é feita através de telas pré definidas para executar determinadas ações.
– Visibilidade: Suas funcionalidades são bem visíveis, tanto a analógica quanto a digital.
– Mapeamento: O aparelho utiliza poucas analogias físicas e culturais, o entendimento não é imediato.
– Permissões: O conjunto de 2 telas + os controles analógicos, não sugerem com eficiência seu próprio uso, tornando o aparelho inicialmente confuso.
– Limitações: Ele possui entre suas limitações a bateria do aparelho, alcance de 30 metros do sinal emitido pela sua funcionalidade “StreetPass” e “SpotPass”.
– Resposta: Possui um ponto de luz que é ativado em diferentes cores quando alguma ação é executada, como por exemplo: quando encontra outro aparelho. Na sua navegação digital são dados alguns feedbacks como qualidade do sinal e carregamento de funcionalidades e jogos.

Conclusão

O Nintendo 3Ds traz uma nova experiência em jogos sociais para os jogadores, mesmo se tratando de um portátil, o que seria algo mais particular, ele é capaz de criar um novo mundo para os jogadores onde o aparelho não será mais utilizado apenas eventualmente e individualmente, mas sim no cotidiano dos usuários. Com suas funcionalidades “StreetPass” e “SpotPass”, ele traz o sentimento de descoberta a cada local e pessoa que o jogador encontra, e também o sentimento de conquista: a cada local visitado o jogador é recompensado por informações, itens diferenciados em jogos, entre outros. Dessa forma ele funciona também como uma excelente ferramenta de incentivo para os jogadores conhecerem lugares e pessoas diferentes. Apesar de possuir algumas características positivas, acredito que ele também possa ser prejudicial caso venha a se tornar uma tecnologia essencial na vida desses usuários, fazendo com que esses usuários restrinjam suas amizades e suas experiências a somente esse circulo, esquecendo-se da realidade. Outro ponto a se levantar são as “Nintendo Zones”, os locais onde os jogadores podem acessar a internet, interagir conquistar pontos e informações, a maioria dos lugares “escolhidos” pela Nintendo são pontos comerciais como Fast Foods, Shoppings entre outros locais, se tornando uma ótima ferramenta de marketing para esses estabelecimentos.
Acredito que essas funcionalidades poderiam muito bem ser implantadas em outros meios, e que poderiam ajudar muito no turismo e na cultura.
Exemplo: Essas funcionalidades poderiam ser disponibilizadas para smartphones, e através dos smartphones as pessoas acessariam os mapas, com locais como: museus, monumentos, parques entre outros, de cada região do país. E ao chegar a cada local o smartphone iria se comunicar com o receptor, receberia informações do local ou algum plus que poderia ser algum aplicativo que só pode ser baixado ou executado naquele local, tornando o passeio informativo, gratificante e divertida ao mesmo.
Poderia também ser utilizado nas faculdades e colégios como atividade a ser cumprida pelos alunos, e de certa forma diminuindo um pouco o sedentarismo dessa nova geração.

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*